No último sábado de 2013, dia 28 de Dezembro, o atletismo ganha força no concelho com a “1.ª Corrida S. Silvestre Cidade de S. Pedro do Sul”. Este evento, segundo disse ao “Notícias de Lafões” o vereador com o Pelouro do Desporto na Câmara Municipal de S. Pedro do Sul, Pedro Mouro, “tem uma dupla importância, visto que a prática desportiva ao ar livre, com a dinamização da modalidade atletismo, já teve muita tradição no nosso concelho; e por outro lado ao passar nas principais artérias da Cidade pretende-se dinamizar essas ruas dando-lhes mais vida, fomentando desta forma a afluência do público para essas mesmas zonas”.

Leia notícia detalhada na edição impressa.

Mais de meio milhão de euros é o que a Câmara Municipal de S. Pedro do Sul gasta, todos os meses, para pagar os salários aos funcionários. O presidente da Câmara, Vítor Figueiredo, disse ao “Notícias de Lafões” que a “autarquia conta, actualmente, com 429 funcionários”, onde estão incluídos os assistentes da Acção Educativa, sendo esta a segunda autarquia do distrito com mais pessoas a trabalhar. A primeira é Viseu. Para o autarca estes números representam “mais de sete milhões de euros em despesas anuais, o que inviabiliza a execução de obras que gostaríamos de levar a cabo nas nossas 14 freguesias”. Questionado sobre se pondera despedir funcionários, Vítor Figueiredo garantiu “que não, desde que a Lei não nos obrigue a tal”, mas deixou bem claro que “não há contratações”. E, foi neste seguimento, que o autarca decidiu cancelar todos os concursos públicos que se encontravam em execução.

Leia notícia detalhada na edição impressa.

Perto de dez dezenas de bombeiros não tiveram mãos a medir no combate a um incêndio que deflagrou numa zona florestal entre Nodar e Sequeiros, da União das Freguesias de São Martinho das Moitas e Covas do Rio, em S. Pedro do Sul. Apesar das temperaturas baixas, o vento forte que se fazia sentir foi o maior inimigo dos agentes no terreno, tendo o fogo se propagado rapidamente, chegando a ter sete frentes activas. O alerta foi dado por volta do meio-dia e segundo nos informou o presidente do Corpo de Salvação Pública de S. Pedro do Sul, António Casais, as causas do incêndio são, para já, desconhecidas, tendo ardido cerca de 300 hectares de mato/pinhal. António Casais informou ainda que houve casas em risco na aldeia de Ameixiosa [na referida União das Freguesias], mas dado a eficácia dos meios o pior não aconteceu. O responsável deu ainda conta que as projecções do fogo chegaram ao concelho vizinho de Castro Daire.

Leia notícia detalhada na edição impressa.

Conforme o “Notícias de Lafões” deu conta na edição anterior, o projecto “Oficinas domiciliárias” é uma realidade e considerado, por muitos, uma necessidade que a Câmara Municipal de S. Pedro do Sul vem agora colmatar. Uma brigada, constituída por dois funcionários da autarquia, está sempre a postos para dar cobro às mais variadas solicitações, como seja substituir lâmpadas e torneiras, reparar tomadas ou estores, proceder à mudança de um vidro partido ou de uma fechadura, entre muitas outras. Mas se voltarmos uns anos, podemos afirmar que este projecto veio pelas mãos do actual presidente da Câmara Municipal de S. Pedro do Sul, Vítor Figueiredo. Ou seja, em 2008, na altura presidente da Junta de S. Pedro do Sul, o autarca promoveu esta ideia, com vista a ajudar os idosos da sua freguesia. Agora, na presidência da Câmara, o autarca não pensou duas vezes e trouxe este projecto, não só para a freguesia de S. Pedro do Sul mas para todas as localidades do concelho.

Leia notícia detalhada na edição impressa.

Na política de contenção de custos que a Câmara Municipal de S. Pedro do Sul tem que encetar nos próximos tempos, o “Notícias de Lafões” teve conhecimento que a iluminação pública no concelho está a ser reduzida. Com esta medida a autarquia espera poupar 10 por cento na factura anual de iluminação pública. Em conversa com o nosso jornal, o presidente da Câmara Municipal, Vítor Figueiredo, reconheceu que esta é uma medida incómoda para a população, no entanto, e dado os problemas financeiros da autarquia, impõe-se. Neste sentido, já estão a iniciar-se os cortes em algumas freguesias do concelho. O autarca deu ainda conta que, por ano, saem dos cofres da Câmara Municipal de S. Pedro do Sul mais de 700 mil euros. Com estes cortes a autarquia espera poupar cerca de 10 por cento.