No passado dia 16 de Novembro, na freguesia de Serrazes, concelho de S. Pedro do Sul, um idoso, de 86 anos, foi burlado por quatro mulheres, com idades entre os 30 e os 40 anos, que se fizeram passar por funcionárias da Segurança Social, levando-lhe da mesinha de cabeceira 550 euros. Segundo fonte da GNR, as mulheres vinham munidas com roupas de cama e disseram ao idoso que queriam fazer a limpeza da sua casa. O idoso não se mostrou interessado, mas uma das senhoras pediu para ir à casa de banho e o senhor acabou por permitir. Foi neste momento que o dinheiro foi furtado. Dentro de um carro, cúmplice na burla, aguardava-as um homem. O Comandante do Posto da GNR de S. Pedro do Sul, Sargento-Ajudante José Pereirinha, aproveitou para alertar a comunidade para ficar atenta e em hipótese alguma deixar pessoas estranhas entrar em casa. Disse ainda que em caso de dúvida contactar vizinhos, as autarquias locais e mesmo o posto da GNR (contacto 232 720 060).

 

Leia notícia detalhada na edição impressa.

Partindo da Rede de Apoio ao Empreendedorismo local, a Câmara Municipal de S. Pedro do Sul vai criar, até ao final do ano, num espaço já existente nos Serviços Municipais, um Gabinete de Apoio ao Empreendedorismo. De acordo com o vereador com o Pelouro Financeiro na Câmara Municipal de S. Pedro do Sul, Pedro Mouro, o “Gabinete de Apoio ao Empreendedorismo pretende ser uma plataforma de ajuda aos empresários existentes e a todos aqueles que pretendam desenvolver uma nova actividade, seja ela comercial ou industrial, no concelho de S. Pedro do Sul”.

 

Leia notícia detalhada na edição impressa.

 

Urgente e necessário, conforme garantiu ao “Notícias de Lafões”, o presidente da Câmara Municipal de S. Pedro do Sul, Vítor Figueiredo, está a ser efectuado o levantamento das necessidades processuais e técnicas com vista à verificação de revisão do Plano Director Municipal – PDM do concelho. Para se ter uma ideia o PDM foi criado no dia 13 de Outubro de 1995 e desde esta altura nunca foi actualizado, o que na opinião de Vítor Figueiredo fez com que muitas pessoas saíssem do concelho, uma vez que tinham terrenos, mas não podiam construir neles. São situações que o presidente da Câmara quer evitar e como mesmo disse “pretendemos desbloquear esta situação” para que “as pessoas que aqui residam possam construir, visto que tem sido impeditiva do crescimento do concelho”.

 

Leia notícia detalhada na edição impressa.

 

Com o Rio Vouga de cenário está, nas Termas de S. Pedro do Sul, um quiosque cor-de-rosa cheio de histórias para contar. Bem, de verdade, o quiosque é apenas a alma, a força e a vontade advêm de um jovem de 30 anos que, há cinco, sofreu um AVC hemorrágico e ficou com uma incapacidade de 66 por cento e decidiu que baixar os braços não era solução. Mas ninguém melhor que o próprio para nos contar a sua história que garantimos ser de sucesso. Estamos a falar de Nuno Almeida, o mais novo de seis irmãos [três meninos e três meninas] que, sendo natural de Covas do Rio, está a viver na localidade de Drizes, em Várzea [concelho de S. Pedro do Sul], numa casa emprestada por um de seus irmãos. Na companhia do seu amigo de quatro patas, o cão Bolinhas, garantiu-nos que é e sempre foi muito feliz, mesmo nos momentos menos bons, que foram muitos, nomeadamente nos oito meses e quatro dias que passou em hospitais até conseguir sair e recomeçar a sua vida. Reformado por incapacidade recebe 111,16 euros, por mês, que não são suficientes para sobreviver. Mas desenganem-se aqueles que pensam que o trabalho para o Nuno é apenas uma forma de sustento. Nada disso. “Trabalho, porque para mim parar é morrer” – desabafa, acrescentando que “não era vida ficar em casa lamentando-me e dependendo de terceiros. Se todos tivessem a coragem e a vontade que eu tenho não haveria limites para nada”. E assim é. A parte esquerda do seu corpo praticamente não tem sensibilidade mas a dedicação e o esforço estão a fazer dele, como referiu um “micro, muito micro empresário”.

 

Leia notícia detalhada na edição impressa.

 

Acarinhado pelos colegas que apresentaram ao “Notícias de Lafões” o “óptimo amigo e profissional” que se dá pelo nome de Eduardo Nuno Oliveira, este mostrou-nos o que o faz ser assim tão especial aos olhos daqueles que o vêem. Estamos a falar de um jovem invisual, de 36 anos, natural da freguesia e concelho de S. Pedro do Sul, que trabalha na Câmara Municipal local há pouco mais de uma década, actualmente na Secção de Divisão de Cultura, Desporto e Acção Social, nomeadamente no Gabinete de Educação. Licenciado em Educação, tem imensos conhecimentos sobre a história e o património do concelho, sendo considerado pelos amigos um “craque” nesta área, tendo já muita informação passada para o papel, o que nos faz prever que, brevemente, será publicada. Este é mais um caso, no meio de tantos outros, que temos a felicidade de conhecer, onde não há limitações para o saber. É isso mesmo que nos garante Eduardo Nuno Oliveira que nasceu com problemas de visão (retina fraca) e a partir dos 14 anos começou a perdê-la progressivamente. Há cerca de dois anos, operou um glaucoma secundário e acabou por ficar invisual. Contudo, evidenciou que “esta limitação visual nunca foi impeditiva de nada”. Se não é de uma forma “é de outra”, explicou. A família e os amigos são também um suporte essencial na vida deste jovem, visto que ainda está a adaptar-se a essa realidade e não utiliza o braile (sistema de leitura com o tato para invisuais).

Leia notícia detalhada na edição impressa.